! Vagabundas e Vadias !


Um viva a todas as vagabundas de plantão!
Sim a batalha travada parece chegar ao fim, toda a luta e o fervor por uma causa começa a se mostrar perdida.
Chego a conclusão de que nada vale, quanto melhores somos, piores seremos tratadas.
Se queremos qualquer coisa, mesmo que de forma pura, temos que vestir máscaras e fazer joguinhos bizarros com a psiquê e com a carne humana.... jogar de todas as formas, manipular até ter nas mãos... afinal é pra isso que nascemos, para fazer parte do jogo, viver, se desenvolver, procriar e morrer.
De que vale ser diferente de todo resto? Pra que ser melhor? Pra que ser legal? Compreensivas? Amigas acima de tudo? Carinhosas? Fogosas? Independentes?
Pra que lutamos todos os dias sendo que no final de tudo o que todos estes filhos da puta querem realmente é uma vadia que vai tirar tudo como uma sanguessuga?
Que vai manipular de forma escrota e mesquinha... é o que eles preferem, estas perfeitas vagabundas que rebolam em seus paus, que causam ereção e extase em suas mentes e corpos não acrescentando, na mentira e na falsidade...até que o divórcio os separe.
E no fim, eles ainda olham para trás com ar nostalgico....
Vai tomar no cu!
E pode passar o tempo que for, os gênes machistas masculinos falam sempre mais alto e os impedem de evoluir, vão continuar nessa definhação humana...ou nos adaptamos a isso ou mudamos nossa opção sexual, pois já não vejo muita saída.
Talvez o voto de abstinencia por muitos aceito talvez seja realmente a melhor opção.
E defendo cada palavra por mim proferida acima, pois falo de algo que sei e algo que vivo de forma direta ou indireta... no fim é tudo merda.

Menina de Amaralina - Raul Seixas

Boa Semana a todos.

4 comentários:

Rosália Cipriano disse...

A raça masculina é meio dificil de entender.

microfonia verbal disse...

Caralhooooooooo!!!!!



...



Caralho!


.....

Caaaaaaaaaaaralho!

Tomatti and Claudecir disse...

Ma que beehehehhelo desabafo...

... "eles "?


Me senti um leeexo XD

Diego disse...

Putz... tô até com medo por ter nascido homem!