Família é família – Parente é parente!

Sempre gostei de bagunça familiar.
È, todo mundo junto comendo, falando mal das primas e tias e tudo mais. Uma boa oportunidade para rir, colocar a fofoca em dia, saber quem casou grávida.
Ultimamente, não sei se gosto mais.

Ouvi no uma mulher falar no ônibus, um pouco antes do natal – o que segue:

- Natal?! Natal é o caralho.
- Família?! Família nada, uma cambada de filhas da puta!

Pensei: Será que o Natal só serve para semear a falsidade. E pior, usam o nome de Jesus para plantar o sentimentalismo no coração dos idiotas – que como EU, acreditam nessa baboseira toda?!

Ok, ok. Tá meio atrasada essa revolta. Mas na boa, a mulher do ônibus estava coberta de razão.
Eu sempre me perguntava por que meus amigos mais inteligentes não comemoravam o Natal, e sabe, eles também tinham razão.

Passo por situações FRUSTANTES o tempo todo.
Cresci na frustração para ser mais exata. E o que ganhei com isso?!
N – A – D – A!
Muito pelo contrário, perdi a paciência, com tudo – com todos.

Quem de fato é a sua família?!
Até que ponto pode-se matar e morrer por eles?!

São muitos questionamentos, muitas revoltas.
E poucas, pouquíssimas soluções.

PAZ – è a única coisa que quero!

Um comentário:

Mnmosyne disse...

Adorei o texto família é família? É seu?
Quando não se pode libertar do contrato, a frustração traz consequências sérica e desastrosas. Gostei!

Verdadeiramente as neuras, os conflitos, os traumas, as incapacidades e as invejas são tipicamente humanas. Surgem no seio familiar, porque família é feita d eseres humanos. Mas, exagerar, repetir paradigmas insanos e fazer permanecer as neuras, os colflitos, os traumas e, principalmente, as invejas.